Category: Vinícolas

22 VINHOS TINTOS BRASILEIROS ENTRE 56 E 99 REAIS

Por , 19/07/2017 19:47

 

Olá amigos!

É importante registrar que  todos estes vinhos, são produtos de qualidade diferenciada,  alguns inclusive são campeões de vendas nas vinícolas que os produzem.

Tirando um vinho da Villa Francioni que é de Santa Catarina, todos os demais são gaúchos das regiões da Serra, Campanha, Campos de Cima da Serra e Serra do Sudeste(Encruzilhada do Sul).

Segue a relação

* 01-Pizzato Merlot Reserva 2013- 69,00

02-Luiz Argenta Cabernet Franc- 63,00

03-Cave de Pedra Adaga Sangiovese 2012- 79,90

*04-Valmarino XX Cabernet Franc 2015- 99,00

05-Viapiana Expressões Merlot 2012- 78,00

*06-R&D Salamanca do Jarau Cab.Sauv. 2012- 78,00

*07-Aracuri Pinot Noir 2016- 69,90

08-Alma Única Reserva Syrah 2014- 74,00

*09-Terragnolo Reserva Merlot 2012- 73,00

10-Villa Francioni Francesco 2012- 82,00

11-Vinhedos Capoani Merlot/Tannat 2013- 66,00

*12-Don Cândido Documento Merlot 2011- 72,00

*13-Vallontano Merlot Reserva 2012- 58,00

*14-Angheben Touriga Nacional- 75,00

15-Guatambú Rastros do Pampa Pinot Noir 2016- 89,00

*16-Pizzato Fausto Verve Gran Reserva 2012- 93,00

*17-Pizzato Concentus- Blend 2013- 95,00

*18-Miolo RAR Cab.Sauvignon/Merlot 2011- 79,90

*19-Barcarola Specialitá Teroldego 2012- 67,00

20-Don Abel Premium Tannat 2013- 69,00

21-Alma Única Reserva Merlot 2012- 67,00

*22-Lídio Carraro Dádiva Pinot Noir 2016- 56,00

Os vinhos que estão com um asterisco ao lado do número, são aqueles que eu já degustei e posso afirmar que todos são bons, mas alguns são ótimos e outros são bons custo/benefício.

Os ótimos na minha opinião são:

Valmarino XX Cabernet Franc 2015

abcabernetfracaxx

Pizzato Fausto Verve Gran Reserva 2012

abcfausto

Os melhores custo/benefício:

Vallontano Merlot Reserva 2012

Lídio Carraro Dádiva Pinot Noir 2016

Os vinhos desta relação, estão a venda na Loja Vinhos e Sabores de Porto Alegre, mas possuem serviço de entrega para todo o Brasil.

Ao finalizar gostaria de esclarecer que as indicações que fazemos em todas nossas mídias,  não envolvem nenhum tipo de pagamento, favores ou quaisquer outros tipos de benefício. Nosso único compromisso é  com os amigos que acessam os nossos conteúdos. 

Às cegas Don Abel Rota 324 supera nacionais caros e famosos

Por , 08/04/2017 16:42

Em degustação às cegas realizada pelo Clube do Tinto, na noite da última sexta-feira, tendo como tema, os diferentes terroir do Brasil, o grande vencedor da noite, surpreendendo alguns vinhos mais caros e famosos, foi o Don Abel Rota 324  safra 2012, Cabernet Sauvignon((97,00) , produzido pela vinícola Don Abel, do município de Casca-RS.

abcdonabel

Os demais concorrentes, foram o Miolo Merlot Terroir(126,00),  do Vale dos Vinhedos, o Miolo Testardi Syrah(146,00) do Vale do São Francisco, o Salamaca do  Jarau, Cabernet Sauvignon(78,00),  da Campanha Gaúcha, o Pericó Benedictum Cabernet Sauvignon(159,00), da Serra Catarinense e o Aracuri Collector, Cabernet Sauvignon(79,00), dos Campos de Cima da Serra, todos da safra 2012.

A degustação, contou com a presença de 13 confrades, 8 dos quais votaram no vinho de numero 1  que após a retirada do papel alumínio que encobria as garrafas, foi constatado que se tratava do Don Abel .   

Já tem brasileiro querendo imitar !

Por , 30/01/2017 14:01

 

Olá amigos !

Depois desta foto ter viralizado nas redes sociais,na semana passada, onde o craque Neymar Junior, da Seleção Brasileira e do Barcelona, aparece ao lado da irma e da namorada, bebendo o vinho Vega-Sicília “Único”, o tinto mais famoso e  mais caro da Espanha… 

abcneymar

 

Já  tem brasileiro querendo  imitar .

abcneymar1

Levar a vida com bom humor, ainda é a melhor alternativa, principalmente para uma segunda-feira !

 

 

O Grande Vinho Nacional do Ano

Por , 31/12/2016 09:47

Quase ao apagar das luzes deste 2016, acabei tomando um dos melhores tintos brasileiros do ano e talvez de todos os anos.

Fiquei impressionado com a grande qualidade deste vinho, no visual apresentou um rubi granada transparente, com discretos sinais de evolução, aromas intensos e agradáveis de frutas vermelhas, baunilha, especiarias e um leve toque da madeira, me lembrou nitidamente de um  bom Nebbiolo do Piemonte ou algo semelhante, na boca é pura elegância, com taninos bem presentes, boa acidez, carvalho integrado e um final de grande persistência, as cegas eu diria que é um Velho Mundo tradicional.

Existem vinhos que me agradam, mas existem alguns que me encantam ! Pena que a tecnologia ainda não permite fotografar os aromas e sabores de um grande vinho !

abinnomi2

Estou falando de um assemblage não muito usual  aqui no Brasil, elaborado com 6 castas: Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Malbec, Merlot, Pinot Noir e Petit Verdot, das safras de 2004 a 2007, colhidas entre abril e maio de cada ano.

Os vinhedos  estão localizados na região de Herciliópolis, município de Água Doce, nos campos de Altitude de Santa Catarina, a 1.300 metros acima do nível do mar. Após a vinificação o vinho passou um período de 6 meses em barricas novas de carvalho francês. Sua graduação alcoólica é  13.8%  e foram produzidas apenas 13.213 garrafas de um único lote.

abinnomi4

Este vinho é uma verdadeira obra de arte da enologia, de autoria da vinícola Villágio Grando que lhe deu o nome de INNOMINABILE, por acreditar que esta é a única forma de descrever este maior símbolo de uma nova era nos vinhos Brasileiros. Innominabile significa algo que não se pode denominar.

A partir de agora o  INNOMINABILE  já  tem um novo significado, pode ser utilizado como sinônimo de  GRANDE VINHO !

50 tintos nacionais abaixo de 50 reais

Por , 04/12/2016 16:14

 Olá amigos

Nas minhas andanças pelas redes virtuais e até mesmo em conversas presenciais, é fácil de constatar que o consumidor brasileiro, conhece mais os vinhos chilenos e argentinos, do que os vinhos nacionais, principalmente aqueles produzidos pelos pequenos produtores, pois  não estão na mídia e muito menos nas prateleiras  das redes de supermercados e aqueles que estão, ficam posicionados em locais secundários. 

O intuito desta postagem é mostrar que existem sim, vinhos nacionais de boa qualidade a preço acessível.

Nesta nossa primeira relação, selecionamos 50 rótulos de pequenos, médios e grandes produtores a preços inferiores a 50 reais, alguns serão encontrados nos supermercados, outros em lojas especializadas e nos sites das próprias vinícolas e muitos em lojas virtuais.

abar

01- Aracuri Merlot      49,00         

02-Aracuri Cab. Sauvignon 49,00

*03-Batalha Merlot 45,00              

*04-Batalha Cab. Sauvignon 49,00    

05-Barcarola Cab.Sauvignon 42,00

06-Barcarola Tannat 49,00  

07-Casa Valduga Origem Cab.Sauvignon 39,00

*08-Casa Venturini Tannat 49,00 

09-Casa Venturini Merlot 49,00

10-Casa Venturini Cab.Sauvignon 49,00

11-Dal Pizzol do Lugar Cab.Franc 39,90

12-Don Abel Reserva Merlot 49,90

13-Don Abel Reserva Cab.Sauvignon 49,90

14-Don Guerino Vintage Malbec 48,00

*15-Don Guerino Reserva Teroldego 49,00

16-Don Guerino Tannat 39,90

17-Don Guerino Merlot 39,90

18-Don Guerino Cab.Sauvignon 39,90

19-Don Laurindo Reserva Merlot 34,00

20-Don Laurindo Reserva Cab.Sauvignon 34,00

21-Don Miguel Merlot 47,00

22-Don Miguel Cab.Sauvignon 47,00

23-Dunamis Cor Assemblage 45,00

24-Guatambu Estância Assemblage 33,00

*25-Lídio Carraro Agnus Tannat  44,00

26-Lídio Carraro Agnus Cab.Sauvignon 44,00

27-Lídio Carraro Agnus Merlot 44,00

*28-Malgarim Ouro Merlot 48,00

29-Malgarim Ouro Cab.franc 48,00

*30-Malgarim Assemblage 34,90

31-Maximo Boschi Merlot Leve 49,90

32-Miolo Reserva Merlot 44,00

33-Miolo Reserva Cab.Sauvignon 44,00

34-Miolo Reserva Tannat 44,00

35-Miolo Reserva Pinot Noir 44,00

*36-Perini Barbera 48,00

37-Pizzato Fausto Cab.Sauvignon 49,00

38-Quinta Don Bonifácio Tannat 43,00

39-Quinta Don Bonifácio Refosco 43,00

*40-Routhier & Darricarere Assemblage 37,00

*41-Ruby Cabernet Sauvignon-Campos de Cima 49,10

42-Salton Paradoxo Cab.Sauvignon 39,90

43-Salton Paradoxo Merlot 39,90

*44-Salvattore Merlot 43,00

45-Salvattore Cab.Sauvignon 43,00

*46-Sozo Reserva Pino Noir  44,90

*47- Valmarino Sangiovese 39,90

48-Valmarino Tannat 39,90

*49-Valmarino Merlot 39,90

*50-Valmarino Cab.Sauvignon 39,90

Destes 50 rótulos, eu degustei os  15 que estão marcados com asteriscos,  os demais são indicados por enólogos, sommeliers e especialistas.

Espero que esta relação  seja útil e caso necessitaram de alguma informação adicional, estou a disposição, em nossa página no Facebook – facebook.com.br/blogdoumpierre ou @blogdoumpierre.

 

 

 

Vinho Top Argentino em Parceria com Artista Plástico Gaúcho !

Por , 19/09/2016 22:44
Nesta última sexta feira, tive o prazer e privilégio de participar do  evento de lançamento do mais novo vinho tinto ícone da Vinícola Tempus Alba de Mendoza, realizado no restaurante Atelier das Massas em Porto Alegre.
O Tempus Alba Radaelli é uma parceria da vinícola argentina, com o artista plástico gaúcho Gelson Radaelli que foi o criador do rótulo para este tinto excepcional.
img_2509
O vinho é um varietal formado 100% por uvas Cabernet Sauvignon de três safras distintas (2009, 2010 e 2011) de vinhedos próprios de Anchoris Lujan de Cuyo (1040 metros acima do nível do mar) que em média descansaram por mais de 22 meses em barricas novas de carvalho francês. Por causa do excelente aproveitamento de 4000 quilos de uvas por hectare, foram produzidas apenas 900 garrafas deste vinho que serão  comercializadas, somente no Atelier de Massas. “Já havíamos criado excelentes vinhos juntos em 2007 e 2008, mas confesso que desta vez a vinícola se superou e temos em mãos uma verdadeira obra prima” - comenta o artista plástico Gelson Radaelli que também é proprietário do restaurante Atelier das Massas.
img_3340
No almoço harmonizado, para convidados especiais, além do Tempus Alba Radaelli, foram servidos o vinho tinto Tempus Alba Pleno 2010 (corte de 65% Malbec e 35% Cabernet Sauvignon) e os Espumantes nacionais Província de São Pedro Extra Brut, feito com uvas Chardonnay e o Espumante Salamanca do Jarau Rosé, com 100% de uvas Cabernet Sauvignon da região da Campanha Gaúcha, elaborado pelo método ancestral, com rótulo também criado por Radaelli, os dois espumantes foram produzidos pela vinícola Routhier e Darricarrère de Rosário do Sul.
img_2500
O Tempus Alba Radaelli lançado hoje, possui coloração rubi violáceo profundo, aromas intensos e complexos, onde frutas vermelhas maduras e especiárias se completam, na boca é encorpado, com taninos estruturados carvalho bem integrado, ótima acidez e final de grande persistência, ainda tem muito o que evoluir em garrafa.
O proprietário e enólogo da vinícola, Leonardo Biondolillo que estava presente no evento comentou: “Este vinho resume o amor de minha família pela arte de fazer belos vinhos, por isso decidimos repetir a parceria com um grande artista, meu amigo Gelson.”
img_3328
Outra novidade no evento, ficou por conta do espumantes gaúchos que encantaram o proprietário da Tempus Alba, a ponto de ter decidido importá-los para apresentar ao público  argentino.
Os espumantes podem ser adquiridos através do site www.redvin.com.br, na loja Vinho e Arte e no Armazem dos Importados, ambos em Porto Alegre. O vinho tinto Tempus Alba Pleno 2010 pode ser encontrado nos supermercados da Cia Zaffari e Bourbon e o exclusivo Tempus Alba Radaelli poderá ser degustado e comprado no Atelier das Massas que já possui lista de espera. 
Visite a nossa página no Facebook - http://www.facebook.com/blogdoumpierre –  e fique sabendo tudo sobre o mundo dos vinhos e os vinhos do mundo, de uma forma leve, livre e descontraída, como deve ser levada a vida.
 

Bourgogne les Bons Bâtons 2005

Por , 15/08/2015 10:16

Mesmo sendo o vinho de entrada do produtor Philippe Lecrerc, eu posso garantir que este vinho não fica devendo nada, para muitos Villages ou até mesmo para alguns 1er crus.

Apesar dos seus 10 anos de idade, ainda é uma criança que  vai dar muitas alegrias aos enófilos que tiverem o privilégio de degustá-lo nos próximos anos!

Borgonha les batons

Pois eu tive o imenso prazer de provar este Bourgogne, há poucos dias atrás em visita a sede da vinícola,  localizada em Gevrey-Chambertin  e fiquei encantado com tamanha potência, elegância, acidez e persistência! Seu aroma, tal qual um peça teatral ou um show musical, começa discreto no inicio e aos poucos vai se revelando e conquistando os degustadores, no final leva a plateia ao delírio.

Comprei 2 garrafas ao preço de 16 euros( em torno de 60 reais), para trazer ao Brasil e ontem a noite, abri a primeira garrafa para acompanhar o jantar.

A ótima impressão que eu havia tido lá na vinícola, foi superada com sobras, o vinho é um verdadeiro show ! 

Agora me resta apenas uma garrafa deste vinho maravilhoso e o arrependimento de  ter comprado, apenas  duas.

Sauvignon Blanc Nacional Estilo Loire- É tudo aquilo que estão falando e mais um pouco

Por , 20/03/2015 19:37

dallagnoll

Por tudo o que eu já tinha ouvido falar a respeito deste vinho e pela demora em conseguir comprar uma garrafa, a minha primeira degustação do Dall’Agnoll Fumê Blanc 2014,  foi cercada de grande expectativa! 

Produzido com a uva  Sauvignon Blanc, ao estilo dos vinhos da Região do Loire, este é mais uma inovação da Vinícola Estrelas do Brasil de Faria Lemos que ganhou destaque nos últimos anos, exatamente pela criação de produtos diferenciados e inusitados, fruto do espirito  criativo e arrojado de seus enólogos.

As uvas que deram origem ao Dall’Agnoll Fumê Blanc, foram cultivadas em vinhedos próprios, localizados no município de Nova Prata-RS e  vinificadas na sua cantina em Faria Lemos, estagiou pelo período de seis meses em barricas de carvalho, tempo suficiente, para dar uma leve estrutura ao vinho, sem comprometer o  seu frescor e a  acidez.

A exemplo dos vinhos lançados anteriormente, o Dall’Agnoll Fumê Blanc 2014, também  foi produzido em escala reduzida, são apenas 2000 garrafas que certamente sumirão do mercado em pouco tempo.

Eu que sou fã dos Sauvignon Blanc do Loire, fiquei surpreso com as semelhanças deste Fumê Blanc, com os vinhos produzidos naquela região.

Na minha opinião este é mais um vinho da Estrelas do Brasil que chegou para fazer história no cenário da vitivinicultura nacional!

É tudo aquilo que estão dizendo dele e mais um pouco, confirmou com sobras as minha expectativas !

 

 

Uma preciosidade da histórica safra 2005 ! Simplesmente o Maximo !

Por , 18/06/2014 16:07

Acaba de ser lançado no mercado, o único vinho nacional feito exclusivamente para ser um vinho de guarda. Após quase 10 anos evoluindo nas caves, o excelente Maximo Boschi  Merlot  da histórica safra 2005,  já chega pronto para ser degustado e para fazer história no cenário vitivinícola do Brasil.  

BOSCHI (9) (478x640)

A grande estratégia da vinícola  Maximo Boschi, é elaborar um vinho diferenciado, de alta qualidade e pequena produção, feito somente em safras especiais,  para ser lançado  depois de vários anos de evolução, seguindo conceitos semelhantes aos famosos vinhos europeus,  e cobrar por este produto premium,  um preço competitivo. 

Nestes 14 anos de existência da vinícola, o Maximo Boschi Merlot  foi produzido em apenas três safras  2000, 2004 e o 2005 que está chegando ao mercado agora.

Os vinhos da  Maximo Boschi, caíram no gosto dos cariocas e de turistas que visitam o Rio de Janeiro, para onde é vendida metade da sua produção e estão nas cartas dos três restaurantes do famoso Chef francês Claude Troisgros e  Fasano, mas também estão fazendo sucesso em São Paulo e Brasília, mas por incrível que pareça, ainda é pouco conhecido do público gaúcho, que responde apenas por 5% das vendas.

Degustar este vinho foi  muito prazeroso, já fiquei seduzido ao sentir seus aromas intensos e complexos que me lembravam especialmente,  frutas vermelhas maduras,  na boca confirmou toda a expectativa, saboroso, elegante, taninos macios, acidez perfeita e retrogosto de grande persistência. Seu teor alcóolico é de 13% . 

Eu  que já havia degustado e gostado muito do safra 2004,  fiquei encantando com este 2005!  Superou as minhas expectativas mais otimistas. Tenho certeza que vai agradar em cheio, principalmente aos  adeptos dos vinhos tradicionais  produzidos no Velho Mundo !

Uma produção artesanal limitadíssima de 2.500 garrafas numeradas deste grande Merlot,  já está sendo distribuída entre os principais mercados do país.

Algo me diz que este vinho vai esgotar rapidamente, por isso já tratei de comprar algumas garrafas para guardar e ir bebendo de tempos em tempos.

Em Porto Alegre, o Maximo Boschi Merlot 2005  está sendo vendido na Loja Vinhos e Sabores ao preço de 62 reais, bem inferior aos outros grandes vinhos nacionais . 

Por trás de um grande vinho tem uma grande história!

Por , 15/03/2014 12:16

 Todo o enófilo que se preze  sabe que  o ato de degustar um vinho, tem tudo a ver com subjetividade, gosto pessoal e afetividade,  é  utilizar os  sentidos, para extrair todo  prazer que ele pode proporcionar.  Vou mais além, na minha opinião, para degustar um vinho em toda a sua plenitude(não estou falando em degustação técnica), é preciso  conhecer as suas origens, saber de onde veio, como tudo começou, quando começou e o que se passou, até  o momento  de  chegar às nossas taças.

Um dos momentos marcantes destas minhas andanças pelo mundo dos vinhos, foi conhecer  a história de D. Antonia Adelaide Ferreira, a Ferreirinha,  uma das principais personagens da vitivinicultura do Douro no século XIX.

Ouvir os relatos dos fatos desta lenda do vinho português, estando presente num dos  cenários históricos,  foi um momento mágico. A beleza daquele lugar e a emoção de estar naquele ambiente, fez a minha mente viajar no tempo e imaginar D. Antônia, entrando por este portão entreaberto, para admirar aquela que foi a sua obra mais arrojada. 

photo (2) (640x478)

Em 1877,  já aos 76 anos de idade, D. Antônia decidiu comprar  300 hectares de terras virgens em Vila Nova de Foz Coa, para a implantação de um  ambicioso projeto vitivinícola. Nascia ali a Quinta do Monte Meão, hoje denominada Quinta do Vale Meão,  a obra mais importante da incansável Ferreirinha que no entanto, teve pouco tempo para desfrutar mais um sucesso retumbante do seu talento  empreendedor, pois veio a falecer um ano após a conclusão do empreendimento, em 1895.

foto (5)

Desde então a Quinta se manteve sempre na posse de seus descendentes, nos anos 70, o seu trineto  Francisco Javier de Olazabal, assumiu a sua gestão e iniciou um processo de  aquisição das partes de seus familiares e co-proprietários, em 1994 tornou-se o único proprietário da Quinta.

photo (6) (640x478)

Até então as uvas da Quinta eram vendidas a empresa AA Ferreira S.A, fundada pelos descendentes de D. Antonia Ferreira e estavam na base de seus melhores vinhos.

Em 1998 Francisco Javier Olazabal, renunciou ao cargo de presidente que ocupava na AA Ferreira S.A, para se dedicar, juntamente com seu filho enólogo Francisco  de Olazabal y Nicolau de Almeida, a produção e comercialização de vinhos da Quinta, fundando a empresa  F. Olazabal & Filhos, Lda.

photo (5) (576x640)

Os primeiros vinhos lançados, foram os da safra de 1999, muito bem aceitos pelo mercado, a partir dai foi ganhando notoriedade a cada safra.

photo (3) (640x478)

Atualmente a Quinta do Vale Meão, é uma das  mais  renomadas  do Douro e de Portugal e seus vinhos são sucesso de crítica e de público em todo o mundo .

photo (1) (640x478)

O prazer que sentimos aos degustar os excelentes vinhos da Quinta do Vale Meão, só não foi maior que a emoção de conhecer a sua história !

 

Panorama Theme by Themocracy