Vale cada centavo !

Por , 22/11/2013 13:00

Um dos vinhos mais elogiados pela crítica portuguesa em 2013, começa a se destacar também aqui no Brasil, principalmente pela sua excelente relação preço/qualidade.

O Tons de Duorum 2011 seduz em todos os requisitos, possui aromas intensos de frutas negras maduras e especiarias, na boca é aveludado, tem um toque de carvalho bem integrado, é saboroso, tem boa acidez e o final é persistente. Degustei este vinho em três ocasiões diferentes e  em todas, tive a mesma boa impressão.

Duorum1 (478x640)

O Tons de Duorum foi elaborado com 3 castas tradicionais em Portugal, Touriga Franca, Touriga Nacional e Tinta Roriz, cultivadas na região do  Douro Superior, onde o índice pluviométrico é extremamente  baixo e o solo a base de xisto, dão origem a uvas com alta concentração. Seu teor alcóolico é de 13.5% .

Mesmo sendo o vinho básico da Quinta do Castelo Melhor, o Tons de Duorum 2011 é um belo vinho e um dos melhores custo/benefício que já encontrei nos últimos tempos. A garantia da sua qualidade tem nome e sobrenome: José Maria Soares Franco e João Portugal Ramos, dois dos maiores nomes da enologia de Portugal das últimas décadas.

Dificilmente encontraremos no Brasil, um vinho deste nível, por 40 reais .

Vale cada centavo ! 

Os inusitados decanters de Luis Pato

Por , 15/11/2013 12:18

Nestas minhas andanças pelo mundo do vinho eu já vi muita coisa, mas os decanters que estavam sobre a mesa da sala de degustação de Luis Pato, eu nunca tinha visto antes e acredito que pouca gente conhece.

Diferentemente de todos os que eu já vi até hoje , estes possuem um bico na sua base que os deixam com uma permanente inclinação, bastando um leve toque para que fiquem balançando por alguns segundos,  fazendo  o vinho circular em seu interior.  A  imagem da foto acima, me trás a lembrança de dois piões girando. 

Até nos acessórios Luis Pato é um inovador!  Fiquei encantado com a criatividade !

Vem ai mais um grande vinho do Douro, para o mundo

Por , 12/11/2013 15:52

Cacifado pelo enólogo José Maria Soares Franco, responsável pela produção do ícone Barca Velha, durante 28 anos, este vinho que está prestes a ser lançado no mercado, possui todos os requisitos, para se tornar um sucesso internacional.

Na verdade, são dois vinhos com o mesmo nome, um é o Duorum O.Leucura cota 200, produzido com parcelas de vinhedos que se encontram a 200 metros de altitude, mais próximo ao rio e o outro é o Duorum O.Leucura cota 400, que foi elaborado com parcelas de vinhedos a 400 metros de altitude.

FOTOLEUCURA (640x478)

O primeiro é um vinho concentrado, com taninos mais firmes, de longa evolução, devido a temperaturas mais elevadas e o segundo, um vinho mais fresco e elegante, em função do clima mais ameno, mas os dois vinhos, cada um dentro das suas caraterísticas, são excelentes!

Tive o prazer e o privilégio de degustar estes dois vinhos numa visita que fiz há poucos dias, junto com um grupo de enófilos brasileiros, a bela sede da Duorum Vinhos-Quinta do Castelo Melhor, localizada em Vila Nova de Foz Coa na sub-região do Douro Superior, quase na fronteira com a Espanha, resultante de uma sociedade entre  dois enólogos que fizeram história nas últimas décadas em Portugal, Jose Maria Soares Franco e João Portugal Ramos.

Fomos recepcionados pelo próprio Jose Maria, que nos levou a conhecer os vinhedos nas encostas do rio Douro e nos fez uma explanação detalhada, sobre as peculiaridades do terroir da região e do projeto moderno e inovador, para a produção de vinhos do Douro e Porto, com caraterísticas únicas e de dimensão internacional.

Na mesma ocasião, também degustamos o ótimo Duorum Reserva Vinhas Velhas 2009 e os demais vinhos produzidos pela Duorum, todos de boa qualidade, mas os dois O. Leucura, com certeza farão história.

Panorama Theme by Themocracy