Maison Forgeot 2010 – Bourgogne Pinot Noir

Por , 16/12/2013 13:36

Diferentemente de tantos outros Pinots que existem na face da terra, o Pinot da Bourgogne já me seduz ao primeiro olhar!  O vermelho pálido da sua cor, a limpidez  e o brilho que reflete no interior da taça, despertam os meus sentidos ! E chego a ficar com água na boca, ao sentir os seus aromas intensos de  frutas vermelhas(morangos, cerejas, framboesas, ameixas e amoras), com toques de couro e especiarias. Quando o Pinot da Bourgogne envolve o  meu palato por completo, a expectativa sempre se confirma, sinto um sabor sutil,  fresco e frutado, uma  acidez viva e gostosa que lembra as balas azedinhas da minha infância, o álcool equilibrado, a  estrutura que destaca os seus taninos e o  final sempre de longa duração.

pinot1 (453x640)

Na última sexta-feira inaugurando mais um final de semana, degustei um Pinot Noir da Bourgogne que confirmou mais uma vez todas as sensações que descrevi acima. 

pinot3 (478x640)

 Este belo exemplar da safra 2010, produzido pela Maison Forgeot- Père & Fils, que custa aqui no Brasil 80 reais, certamente não é da primeira  linhagem, mas um  Pinot Noir da Bourgogne por mais simples que seja, é sempre um vinho especial!

Um surpreendente Pinot Noir por apenas 15 reais !

Por , 09/12/2013 20:06

O Weingärtner Pinot Noir,  produzido pelo EngºAgrônomo Marimônio Weingärtner na cidade de Pelotas no Sul do Estado do RS, uma região sem nenhuma tradição vitivinícola, está fazendo sucesso na cidade, pela  sua boa relação custo/benefício!

Degustamos este vinho as cegas neste domingo, e  fomos surpreendidos  com a sua qualidade! Tinha todas as características de um bom Pinot ! No visual, apresentava  uma coloração  rubi  transparente, aromas de  frutas vermelhas e especiarias, com destaque para cravo e canela, na boca tinha corpo médio, boa acidez e álcool equilibrado, e o  final de curta duração, o  seu maior pecado.

pinotdepelotas (478x640)

É claro  que não tinha muita complexidade  e nem o acabamento dos  bons Pinots, mas considerando que o Brasil, salvo raras exceções, não tem tradição na produção de grandes vinhos com esta casta, posso afirmar que o Weingärtner Pinot Noir,  é superior a muitos Pinots produzidos em nosso Pais.  

Panorama Theme by Themocracy