ENTREVISTA REVELADORA DE ADRIANO MIOLO

Vinho gaúcho custa menos na Bahia do que no RS; entenda

E não só na Bahia, mas também em Brasília e em Goiás, conta Adriano Miolo

(entrevista à jornalista Giane Guerra- Gaúcha Zero Hora)

A conversa com Adriano Miolo corria bem, falando sobre safra recorde e produção de vinhos especiais. Até que o empresário entrou no assunto tributação e disse:

 

— Nosso vinho chega mais barato nas gôndolas dos supermercados da Bahia.

Acendeu a luz vermelha da coluna. Como assim? O vinho da uva colhida e engarrafado no Rio Grande do Sul é mais barato para o consumidor na Bahia? Adriano Miolo disse que sim e também nos outros locais que retiraram o vinho do mecanismo de substituição tributária, como Brasília, Goiás e, mais recentemente, Santa Catarina.

Almir Dupont

(Almir Dupont)

Miolo Seleção é mais caro no RS do que na Bahia.

— Quando começou a cobrança do ICMS desta forma, houve um aumento de 30% no preço para o consumidor. Piorou também a competitividade do vinho nacional porque o percentual é cobrado em cima do valor de venda para o cliente, que inclui a margem de lucro. Já o ICMS pago pelo vinho que vem de fora do país incide sobre o preço de importação — explica o superintendente do Grupo Miolo.

O exemplo dado pelo executivo é o Miolo Seleção. Segundo Adriano Miolo, a garrafa custa entre R$ 28 e R$ 29 nos supermercados destes Estados. Em Porto Alegre, para onde teria um frete bem menor, chega entre R$ 34 e R$ 35 como preço normal.

A disputa de mercado com o Chile prossegue. Miolo afirma que a bebida do país é isenta de Imposto de Importação e já responde por metade do mercado nacional.

— Aliás, apenas uma em cada dez garrafas de vinho consumidas no Brasil é de fabricação nacional — complementa o empresário.

Safra espetacular

A ótima safra será usada pela Miolo para recuperar o mercado dos últimos anos. O consumo de vinhos finos cresceu 35% em três anos, mas a venda da bebida nacional caiu, deixando ainda mais espaço para os importados.

Clima seco e variação grande de temperatura garantiram aumento em quantidade e qualidade. Adriano Miolo acredita que esta será a melhor safra da década, o que permite que a vinícola produza tipos de vinhos que não fabricava há sete anos.

A Miolo está colhendo 6,2 milhões de quilos de uva no Rio Grande do Sul, sendo que 70% é produzido na região da Campanha. O restante fica em Bento Gonçalves, no Vale dos Vinhedos.

2 comments for “ENTREVISTA REVELADORA DE ADRIANO MIOLO

  1. Gibson Ramos
    13/03/2018 at 15:19

    Grande Enólogo Brasileiro e de Grande visão do Mercado.
    Trabalhando com Vinho Nacional, constatei o grande aumento de consumo de Vinho Nacional pelo Excelente trabalho realizado por Adriano Milo no lançamento do Vinho Seleção para todo Brasil. Foi esta iniciativa que fez com que o Brasileiro começasse a procurar os Vinhos Nacionais.
    E como trabalho somente com uma Vinícola Nacional ( RS )no Estado do Rio de Janeiro e agora este imposto Substituição Tributária no RJ, fez com que nossas vendas ficassem 60 % abaixo de antes da entrada desta S.T. . Os Vinhos Nacionais em Lojas, Restaurantes e Hotéis no RJ estão perdendo muito espaço para os Chilenos e Argentinos !

  2. 13/03/2018 at 15:44

    Olá Gibson!

    Assino embaixo das tuas palavras sobre Adriano Miolo.

    É lamentável que o árduo trabalho do setor, para aumentar o consumo do vinho brasileiro, não encontre o mínimo respaldo por parte dos governos.

    Obrigado por acessar o nosso blog.

    Um abraço

    Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *