A VINÍCOLA QUE VIROU SINÔNIMO DE ESPUMANTE

No inicio dos anos 2000, quando o espumante nacional ainda buscava novos caminhos, para melhorar a sua qualidade, quando o seu consumo ficava restrito apenas a datas especiais, como casamentos, aniversários, reveillon, etc… estive visitando uma pequena vinícola em Pinto Bandeira, naquela época, distrito de Bento Gonçalves, que começava a se destacar pelos seus espumantes diferenciados, porém desconhecidos da grande maioria do público.

No último mês de março, passados quase 18 anos daquela minha visita, retornei ao mesmo local, desta vez para conhecer um dos mais renomados produtores de espumantes da América do Sul.

A Família Geisse Vinhedos de Terroir, é hoje uma referência nacional, com sua produção focada exclusivamente na elaboração de espumantes. 

Os espumantes da linha Cave Geisse, são produzidos somente com uvas da mesma safra, cultivadas em vinhedos próprios, localizados no entorno da cantina, mas também produz uma linha de espumantes mais simples, mas também de boa qualidade, denominada Cave Amadeu.

 Depois de consolidar a qualidade de seus espumantes, a Família Geisse investiu no enoturismo, criou o Open Lounge, um espaço ao ar livre, onde se pode ouvir os sons da natureza, comendo empanadas chilenas, acompanhadas  pelo espumante da vinícola, além disso, também implantou diversos programas que incluem visitação técnica à cantina, para conhecer a sua história e os processos de produção, passeios pelos vinhedos, finalizando com a degustação de alguns exemplares ali produzidos e um varejo, onde é possível comprar espumantes e diversos tipos de acessórios.

Duas décadas depois, aquela pequena vinícola, fundada pelo enólogo chileno Mario Geisse que veio para a Serra Gaúcha, trabalhar na Chandon do Brasil, na segunda metade dos anos 70,  transformou o nome Cave Geisse, em sinônimo de espumante brasileiro de qualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *