DIONÍSIO UM TINTO BRASILEIRO QUE FAZ JUS AO NOME

Foi há mais ou menos, uns 10 anos que eu fiquei sabendo da existência da Vinicola Ravanello, localizada no município de Gramado na Serra Gaúcha, um dos destinos mais procurados pelos turistas brasileiros, mas sem tradição na produção de vinhos.

Nos últimos meses, vários elogios sobre a qualidade dos vinhos da Ravanello, me chamaram a atenção e aguçaram a minha curiosidade, pois ainda não os conhecia.

Ontem ao visitar o site de uma loja, me deparei com alguns rótulos desta vinícola e decidi que havia chegado o momento de provar um de seus exemplares.

Depois de analisar as opções, decidi comprar o Dionísio safra 2013, um assemblage de Teroldego(52%), elaborado com uvas da Serra do Sudeste, Tannat(35%), da Campanha Gaúcha e Merlot(13%), de vinhedos próprios em Gramado, submetidas à técnica de dupla maturação direcionada(DMD)que consiste na realização provocada de uma segunda maturação das uvas no próprio vinhedo, por meio do corte de parte dos ramos que sustentam os cachos. O resultado é uma forte passificação natural das bagas.

O Teroldego passou 12 meses em barricas de carvalho francês, o Tannat, 14 meses e o Merlot, 7 meses, o teor alcoólico do vinho, ficou em 14%.

Na taça, mostrou uma bela cor púrpura-violácea intensa e brilhante, senti aromas de café, carvalho tostado, especiarias e frutas vermelhas maduras, tudo muito bem integrado, na boca é um vinho de grande estrutura, encorpado, taninos macios, boa acidez, bem equilibrado e final de grande persistência.

O Dionísio, fez jus ao nome e aos comentários elogiosos, foi aprovado com louvor, é mais uma ótima opção de vinho brasileiro que indico aos amigos que acompanham o nosso blog.

Comprei este vinho na loja Vinhos e Sabores de Porto Alegre, por R$119,00.

Vale a pena experimentar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *