A HISTÓRIA DE UMA PAIXÃO PELO VINHO NATURAL

Na noite desta última quinta-feira, participei de uma palestra/degustação, com a mais nova e creio que também a mais jovem, produtora de vinhos naturais brasileiros, a enóloga gaúcha Vanessa Kohlrausch Medin.

Filha, neta e bisneta  de viticultores,Vanessa nasceu em meio aos parreirais, desde muito cedo tornou-se  apaixonada por este universo e já na sua adolescência, decidiu que queria trabalhar com vinhos.

Formada em enologia, Vanessa foi para o  mercado, trabalhou em vinícolas de grande e médio porte. Começou em 2008 na Miolo Group, onde atuou nas unidades da Serra, Campanha Gaúcha e no Vale do São Francisco, desempenhando múltiplas funções. Depois passou pela Pizzato em 2013 e Bueno Wines, em 2014, mas o seu contato com a  vinificação natural, aconteceu somente a partir de 2015, quando foi trabalhar no Atelier Tormentas, foi paixão a primeira vista!

Além do conhecimento e da experiência adquirida, com Marco Danielle, um dos mais antigos produtores de vinhos naturais do Brasil, Vanessa teve a oportunidade de conhecer pessoalmente, alguns dos principais nomes do vinho natural da Europa.

Encantada com o mundo do vinho “natureba”, Vanessa passou a sonhar em  produzir vinhos que acima de tudo, representassem a sua filosofia de vida, vinhos com alma e identidade, verdadeiros, saudáveis, puros, sem  adição de  produtos enológicos, sem correções e mínima ou nenhuma intervenção. 

A partir de 2018, começa a concretizar o sonho e lança os seus primeiros vinhos, uma modesta produção de apenas 1.600 litros, distribuídos em seis diferentes rótulos. Um branco vinificado em laranja, com Chardonnay e Malvasia de Cândia, um varietal de Gamay, um corte de Pinot Noir e Gamay, um corte de Gamay, Pinot Noir e duas uvas não divulgadas, um varietal de Teróldego e um corte de Ancellotta,Sangiovese,Negroamaro e Primitivo, com exceção dos dois últimos, as uvas são cultivadas em vinhedo próprio, localizado no Vale dos Vinhedos, próximo ao Spa do Vinho.

Durante o evento realizado na sede da Fundação Ecarta, em Porto Alegre, tive a oportunidade de degustar os seis exemplares, produzidos por Vanessa Medin.

Todos são vinhos leves, aromáticos, fáceis de beber, com boa acidez e baixa graduação alcoólica, quase um rosé, inspirados no vinho francês, feitos com a uva Poulsard da região  do Jura.  

O que mais me chamou a atenção, foi o “Laranja”, Guardião da Intuição, elaborado com 85% de Chardonnay e 15% de Malvasia de Cândia, é um vinho de cor amarelo ouro, com alguma turbidez, normal para este tipo de vinificação, aromas florais de grande intensidade, na boca, o vinho entrega o que senti no nariz, é leve, equilibrado, boa acidez e retrogosto de média persistência. Seu teor alcoólico é de 11.1% . Foram produzidas apenas 129 garrafas e o preço deste e dos outros 5 vinhos, é de R$100,00.

Vanessa fala do vinho natural, com paixão e entusiasmo contagiante, mas sem nenhum resquício de vaidade, pelo contrário, demonstra ser uma pessoa simples, verdadeira e humilde, para reconhecer que ainda tem muito à aprender e um caminho longo e cheios de obstáculos, para percorrer.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *