SOBREVIVENTE DE TRAGÉDIA NOS ANDES PRODUZ VINHOS NO URUGUAI

Na noite da última terça-feira, estive presente no evento de lançamento dos vinhos da vinícola Valle de las Lágrimas de propriedade de Álvaro Mangino, um dos sobreviventes da queda de um avião da Força Aérea Uruguaia na cordilheira dos Andes, em outubro de 1972.

Foram apresentados 5 vinhos, todos Gran Reserva, um branco elaborado com Chardonnay, um corte de Merlot e Tannat, um varietal de Cabernet Franc, um de Tannat e um Blend com 3 uvas, Cabernet Franc, Merlot e Tannat. Todos os vinhos são de muita qualidade, mas o Blend me pareceu o mais pronto,para beber agora.

Conforme Álvaro, este vinho é uma forma de homenagear aos seus amigos do Valle de las Lágrimas,os que sobreviveram e os que estão no céu. É uma mensagem de esperança e vitória, uma maneira de brindar a vida e a tudo o que lhes restou viver depois,é um canto a vida, a seus seres queridos e as suas famílias.

Enquanto apresentava seus vinhos, Álvaro falou sobre o milagre de sobreviver, durante 72 dias, numa montanha de gelo, a mais de 4 mil metros de altitude, com uma perna quebrada, enfrentando sede, fome e temperaturas que chegavam aos 30 graus negativos.

No voo fretado que transportava 45 pessoas, incluindo uma equipe de rugby, seus amigos, familiares e associados, mais de um quarto dos passageiros morreram no acidente, vários faleceram devido ao frio e ferimentos, outros foram soterrados por uma avalanche de neve que caiu, sobre a fuselagem do avião, enquanto dormiam.

Depois de ouvir num rádio improvisado que as equipes de resgate haviam suspendido as buscas, decidiram que os dois sobreviventes, em melhores condições físicas, sairiam  em busca de ajuda.

Após dez dias de caminhada, já quase sem forças para prosseguir, conseguiram chegar a margem de um rio, onde avistaram um homem a cavalo. O pesadelo estava chegando ao fim.

Depois de 72 dias de intenso sofrimento, os 16 sobreviventes foram finalmente resgatados. 

Passados quase 50 anos da tragédia, os companheiros de infortúnio, celebram anualmente, no dia 22 de dezembro(dia que foram resgatados), a data do seu renascimento, ao lado de amigos e familiares.

Também criaram um fundo, com os recursos oriundos dos direitos sobre filmes e livros que utilizam para financiar estas comemorações, auxiliar algum que esteja em dificuldade financeira e o que sobra, dividem entre si.

Foi uma grande honra e emoção ter conhecido Álvaro Mangino, um dos  bravos guerreiros desta grande batalha pela vida!

Sai deste encontro, com algumas convicções: o ser humano é muito mais forte que imagina, o impossível não existe e milagres acontecem!

1 comment for “SOBREVIVENTE DE TRAGÉDIA NOS ANDES PRODUZ VINHOS NO URUGUAI

  1. 05/08/2019 at 16:28

    Baita Matéria como sempre umpierre,,…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *