CORRUPTO UM VINHO DE AUTOR

Apesar do nome inusitado, este Cabernet Sauvignon chileno produzido no Maipo,  é um vinho de ótima qualidade e tem grande potencial de guarda, estimada inicialmente em 12 anos e 1 mês, mas é possível que dure mais tempo.

O Corrupto é um vinho de autor, produzido por um francês de Bordeaux radicado no Chile e a sua produção é de apenas 1.480 garrafas, por motivos óbvios, vendidas com exclusividade para o Brasil.

Se você tiver este vinho em casa, não abra agora, deixe guardado na sua adega por um bom tempo, até que adquira a condição legal para ser libertado da garrafa.     

MENTIROSO UM VINO DE VERDAD

A frase estampada no rótulo deste vinho espanhol da região de Murcia, é para lembrar alguns personagens do cenário político brasileiro que “TODOS SOMOS IGUALES ANTE LA LEY.” 

Diante dos lamentáveis acontecimentos que o Brasil assistiu ao vivo neste último final de semana, ficou mais do que comprovado que para certas pessoas a lei foi feita, apenas para os outros.

Sobre o vinho produzido pela Bodegas Del Rosário da DO de Bullas, é um tinto, elaborado com as uvas Monastrell e Syrah, estagiou por 4 meses em barricas de carvalho, apresenta no visual uma cor granada intenso, com tons violáceos, aromas de caráter mineral e balsâmico, na boca é um vinho aveludado e saboroso.

Achei muito original a ideia de colocar nos rótulos, as mentiras utilizadas pelas pessoas, nas mais diversas situações do seu cotidiano.

Para encerrar, o meu desejo é que a justiça brasileira mantenha o cumprimento da frase deste rótulo.

A VINÍCOLA QUE VIROU SINÔNIMO DE ESPUMANTE

No inicio dos anos 2000, quando o espumante nacional ainda buscava novos caminhos, para melhorar a sua qualidade, quando o seu consumo ficava restrito apenas a datas especiais, como casamentos, aniversários, reveillon, etc… estive visitando uma pequena vinícola em Pinto Bandeira, naquela época, distrito de Bento Gonçalves, que começava a se destacar pelos seus espumantes diferenciados, porém desconhecidos da grande maioria do público.

No último mês de março, passados quase 18 anos daquela minha visita, retornei ao mesmo local, desta vez para conhecer um dos mais renomados produtores de espumantes da América do Sul.

A Família Geisse Vinhedos de Terroir, é hoje uma referência nacional, com sua produção focada exclusivamente na elaboração de espumantes. 

Os espumantes da linha Cave Geisse, são produzidos somente com uvas da mesma safra, cultivadas em vinhedos próprios, localizados no entorno da cantina, mas também produz uma linha de espumantes mais simples, mas também de boa qualidade, denominada Cave Amadeu.

 Depois de consolidar a qualidade de seus espumantes, a Família Geisse investiu no enoturismo, criou o Open Lounge, um espaço ao ar livre, onde se pode ouvir os sons da natureza, comendo empanadas chilenas, acompanhadas  pelo espumante da vinícola, além disso, também implantou diversos programas que incluem visitação técnica à cantina, para conhecer a sua história e os processos de produção, passeios pelos vinhedos, finalizando com a degustação de alguns exemplares ali produzidos e um varejo, onde é possível comprar espumantes e diversos tipos de acessórios.

Duas décadas depois, aquela pequena vinícola, fundada pelo enólogo chileno Mario Geisse que veio para a Serra Gaúcha, trabalhar na Chandon do Brasil, na segunda metade dos anos 70,  transformou o nome Cave Geisse, em sinônimo de espumante brasileiro de qualidade.

AS PRIMEIRAS PROVAS DA HISTÓRICA SAFRA 2018

Em visita ao Vale dos Vinhedos, no último dia 17 de março, tivemos a grata surpresa de provar alguns exemplares da safra 2018 que está sendo considerada pelos produtores, como a melhor dos últimos 20 anos.

Na manhã ensolarada daquele sábado,estava agendada, uma visita do grupo que participou do Winemaker 5ª Edição, às caves da Miolo, para a última prova de barrica do vinho elaborado durante o curso.

O que ninguém imaginava, é que iria vivenciar a incrível experiência de degustar alguns dos vinhos tintos e brancos desta safra histórica, ainda no início de seu processo de vinificação.

É cedo ainda para conclusões definitivas, mas pelas primeiras provas, tudo está a indicar que teremos vinhos de grande qualidade, desde a sua linha mais básica, até os de mais alta gama.

É aguardar para beber!

 

ENOGASTRONOMIA DE ALTO NÍVEL NA SERRA GAÚCHA

A noite da última sexta-feira, vai ficar por muito tempo na lembrança de um grupo de 14 enófilos do Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais que participaram de um jantar no excepcional restaurante Valle Rústico, harmonizado com os excelentes vinhos da Maximo Boschi, a primeira e única vinícola brasileira a comercializar seus vinhos de guarda, prontos para beber, depois de passar por uma longa maturação que gira ao redor de 10 anos.

Tanto o restaurante, quanto a vinícola, são destaques no Vale dos Vinhedos, pelas suas propostas diferenciadas, inovadoras e de alta qualidade. Os dois negócios já receberam vários elogios de especialistas no assunto e o reconhecimento do público apreciador da enogastronomia.

Ambos estão de parabéns e recomendo com ênfase aos amigos que nos seguem aqui no blog.