VINÍCOLA BRASILEIRA LANÇA LINHA DE ESPUMANTE BIODINÂMICO

Chega ao mercado ainda neste mês, o primeiro lote do Astral Brut Champenoise, a primeira linha de espumante biodinâmico do Brasil, com certificação internacional, produzido pela Cooperativa Vinícola Garibaldi, da cidade que lhe empresta o nome, na serra gaúcha.

Uma das três fornecedoras de uvas biodinâmicas utilizadas pela Cooperativa na produção do Astral, é a produtora Rosângela Bettú Lazzari, sobrinha do conhecido vinhateiro Vilmar Bettú e do enólogo Orgalindo Bettú. Em 2008, Rosângela converteu seus vinhedos, para cultivo orgânico e desde 2016 desenvolve técnicas biodinâmicas.

O espumante Astral terá uma partida limitada à 700 garrafas numeradas que serão vendidas no varejo anexo ao complexo enoturístico da Cooperativa Vinícola Garibaldi, em algumas lojas virtuais e restaurantes ligados à proposta slow food. O preço é de R$70,00 por garrafa.

VINÍCOLA GAÚCHA PRODUZ ESPUMANTE EM LATA

No último domingo degustei as três versões do primeiro espumante brasileiro em lata e fiquei encantado,com a novidade!

É bem leve,fresco,frutado e tem boa acidez, ideal para beber a beira da praia, da piscina, no pagode, no carnaval ou no lugar que você achar melhor, mas é obrigatório que seja bem gelado.

Pode acompanhar batatinha fritas, petiscos, churrascos, feijoadas, frutos do mar, ou apenas para matar a sede. 

O espumante em lata, é o novo projeto da AVR-Águas Vão Rolar, dos fundadores da Cerveja Coruja, em parceria com a vinícola Giaretta de Guaporé da serra gaúcha.

Acredito que o espumante em lata, tem boas chances de fazer sucesso e até mesmo,  pegar uma fatia dos consumidores de cerveja, vai depender, entre outras coisas, da estratégia de marketing e da logística de distribuição.

Em Porto Alegre, está sendo vendido na Banca 38 do Mercado Público e na Costi Bebidas, na região Sul e Campanha, na ViVi Vinhos Finos e Espumantes, em Canguçu e Pinheiro Machado, por R$10,00 a unidade.

Vale a pena experimentar! Só não vale comparar com o espumante tradicional!

A HISTÓRIA DE UMA PAIXÃO PELO VINHO NATURAL

Na noite desta última quinta-feira, participei de uma palestra/degustação, com a mais nova e creio que também a mais jovem, produtora de vinhos naturais brasileiros, a enóloga gaúcha Vanessa Kohlrausch Medin.

Filha, neta e bisneta  de viticultores,Vanessa nasceu em meio aos parreirais, desde muito cedo tornou-se  apaixonada por este universo e já na sua adolescência, decidiu que queria trabalhar com vinhos.

Formada em enologia, Vanessa foi para o  mercado, trabalhou em vinícolas de grande e médio porte. Começou em 2008 na Miolo Group, onde atuou nas unidades da Serra, Campanha Gaúcha e no Vale do São Francisco, desempenhando múltiplas funções. Depois passou pela Pizzato em 2013 e Bueno Wines, em 2014, mas o seu contato com a  vinificação natural, aconteceu somente a partir de 2015, quando foi trabalhar no Atelier Tormentas, foi paixão a primeira vista!

Além do conhecimento e da experiência adquirida, com Marco Danielle, um dos mais antigos produtores de vinhos naturais do Brasil, Vanessa teve a oportunidade de conhecer pessoalmente, alguns dos principais nomes do vinho natural da Europa.

Encantada com o mundo do vinho “natureba”, Vanessa passou a sonhar em  produzir vinhos que acima de tudo, representassem a sua filosofia de vida, vinhos com alma e identidade, verdadeiros, saudáveis, puros, sem  adição de  produtos enológicos, sem correções e mínima ou nenhuma intervenção. 

A partir de 2018, começa a concretizar o sonho e lança os seus primeiros vinhos, uma modesta produção de apenas 1.600 litros, distribuídos em seis diferentes rótulos. Um branco vinificado em laranja, com Chardonnay e Malvasia de Cândia, um varietal de Gamay, um corte de Pinot Noir e Gamay, um corte de Gamay, Pinot Noir e duas uvas não divulgadas, um varietal de Teróldego e um corte de Ancellotta,Sangiovese,Negroamaro e Primitivo, com exceção dos dois últimos, as uvas são cultivadas em vinhedo próprio, localizado no Vale dos Vinhedos, próximo ao Spa do Vinho.

Durante o evento realizado na sede da Fundação Ecarta, em Porto Alegre, tive a oportunidade de degustar os seis exemplares, produzidos por Vanessa Medin.

Todos são vinhos leves, aromáticos, fáceis de beber, com boa acidez e baixa graduação alcoólica, quase um rosé, inspirados no vinho francês, feitos com a uva Poulsard da região  do Jura.  

O que mais me chamou a atenção, foi o “Laranja”, Guardião da Intuição, elaborado com 85% de Chardonnay e 15% de Malvasia de Cândia, é um vinho de cor amarelo ouro, com alguma turbidez, normal para este tipo de vinificação, aromas florais de grande intensidade, na boca, o vinho entrega o que senti no nariz, é leve, equilibrado, boa acidez e retrogosto de média persistência. Seu teor alcoólico é de 11.1% . Foram produzidas apenas 129 garrafas e o preço deste e dos outros 5 vinhos, é de R$100,00.

Vanessa fala do vinho natural, com paixão e entusiasmo contagiante, mas sem nenhum resquício de vaidade, pelo contrário, demonstra ser uma pessoa simples, verdadeira e humilde, para reconhecer que ainda tem muito à aprender e um caminho longo e cheios de obstáculos, para percorrer.  

O PARAÍSO DOS VINHOS ORGÂNICOS, BIODINÂMICOS E NATURAIS!

Não fosse pela indicação de um amigo, é bem provável que ao passar em frente a esta pequena loja de vinhos em Paris, eu não teria ficado atraído à entrar, pois a má conservação da sua fachada e a vitrine pouco criativa, em nada indicavam que lá dentro pudesse haver algum vinho interessante. 

Mas qual não foi a minha surpresa e entusiasmo ao adentrar o estabelecimento e me deparar diante de um verdadeiro tesouro de vinhos orgânicos, biodinâmicos e naturais das principais regiões da França, elaborados por vignerons(enólogos) independentes, com coragem, talento e trabalho meticuloso, respeitando a mãe natureza e a pura expressão do solo e da planta.

Dificilmente estes vinhos serão encontrados nas grandes lojas francesas, ou em qualquer outra parte do mundo, pois são produções limitadas, sem escala para exportação.

Portanto se você for a Paris e desejar comprar vinhos e champagnes exclusivos, de alta qualidade, desconsidere as aparências e não deixe de entrar na pequena L’Etiquette, localizada na 10 rue Jean du Bellay, Île Saint-Louis, tem muita coisa boa a preços bem em conta, mas se você pretende trazer os vinhos para o Brasil, não esqueça de exigir “la facture”(a nota fiscal), para evitar problemas com a alfândega na chegada. 

VINTE VINHOS BRASILEIROS QUE TOMEI EM 2018 ABAIXO DE 100 REAIS

E para fechar este grande ano que ficará na história, como a melhor safra gaúcha das últimas décadas, compartilho com todos que acompanham as nossas postagens, os 20 melhores vinhos brasileiros que tomei ao longo dos 365 dias de 2018, cujos preços não ultrapassaram a casa dos 100 reais.

Desejo a todos um 2019, com muitas alegrias, paz e bons vinhos!

 

 

01-Miolo Single Vineyards Touriga Nacional 2017 Região da Campanha 

02-Miolo Single Vineyards Riesling Johannisberg 2018- Região da Campanha

03-Miolo Reserva Sauvignon Blanc Colheita Noturna 2018- Região da Campanha 

04-Pizzato Reserva Merlot DOVV 2015- Vale dos Vinhedos

05-Pizzato Chardonnay DOVV 2018- Vale dos Vinhedos

06-Pizzato Sauvignon Blanc 2018- Vale dos Vinhedos

07-Quinta do Herval Riesling Itálico 2018-Serra do Sudeste

08-Salton Desejo Merlot 2012- Serra Gaúcha e Campanha.

09-Vezzi Merlot 2017-Vale dos Vinhedos 

10- Villa Francioni Rosé – Serra Catarinense 

11-Dunamis Tannat 2015- Região da Campanha  

12-Rastros do Pampa Tannat 2015-Região da Campanha

13-Don Thomaz y Victória Cabernet Sauvignon 2012-Região da Campanha  

14-Armando Memórias Touriga Nacional 2016-Serra do Sudeste

15-Salton Talento Assemblage 2012- Região da Campanha

16-Marie Gabi Rose Cabernet Sauvignon – Região da Campanha 

17-Valmarino Tannat 2016-Pinto Bandeira 

18-Almaunica Chardonnay DOVV 2017- Vale dos Vinhedos

19-Armando Memória Teroldego 2016- Serra do Sudeste

20-Casa Valduga Leopoldina Linha Premium Merlot 2014- Vale dos Vinhedos